xmlns="http://www.w3.org/1999/xhtml" xml:lang="en" lang="en"> Mesa Mundi: Março 2006

Mesa Mundi

Um blog geográfico/gastronômico prá você. Cada postagem um país, sua história, curiosidades, dados econômicos e receitas típicas. Uma variação mais culta da Cozinha do Xúnior.

Minha foto
Nome:
Local: Goiânia, Goiás, Brazil

Às vezes poeta maldito, noutras, aprendiz da maldade. Às vezes vale o escrito, noutras, só a verdade. Completamente louco e imprevisível. Cozinheiro por vocação e prazer, bluzeiro de raiz, goiano orgulhoso, torcedor do Goiás E.C. (Avião Verde), feliz, com 2 filhos maravilhosos e a Branquinha.

sábado, março 25, 2006

Tawa-Tawas (receita colômbiana)

Ingredientes:





02 chávenas de farinha de trigo;
02 pacotinhos de fermento biológico (20g.);
01 colher das de chá de sal;
01 colher das de sopa de manteiga;
02 ovos;
½ chávena de leite;
Óleo para fritar;
01 chávena de mel.

Modo de preparo:

Numa tigela grande, peneire a farinha, o fermento e o sal, adicione a manteiga e misture bem. Adicione os ovos e bata levemente, em seguida, acrescente o leite, pouco a pouco, mexendo bem até a massa ficar macia. Coloque a massa sobre a mesa, polvilhe um pouco de farinha e amasse bem. Deixe a massa descansar por 10 minutos coberta com filme plástico.
Abra a massa até ficar bem fina. Corte em forma de quadrados de mais ou menos 5 cm cada e cubra com um pano por 5 minutos.
Numa frigideira, aqueça o óleo e frite os quadrados até dourar dos dois lados. Retire da panela e coloque sobre papel-toalha para absorver o excesso de óleo. Transfira para uma travessa, cubra cada um com o mel e sirva a seguir.

sexta-feira, março 24, 2006

Colômbia


Nosso vizinho, país de muitos craques do futebol (Rincón, Walderrama, Asprilla...). Situado a Noroeste da América do Sul com uma área de 1.138.910 Km² e uma população de 44,5 milhões de habitantes, na época que Colombo aportou por estas plagas, possuia uma população indígena estimada em 850 mil indivíduos, descendentes dos primeiros seres humanos a habitar as Américas (mais ou menos 10.000 anos atrás), hábeis artesãos e escultores com peças moldadas em ouro. Entre 1509 e 1550, quando a maioria das cidades colômbianas já estavam formadas, essa população foi dizimada.
Em 1810 foi proclamada a independência do país pelas mãos de Simon Bolivar. Esse período particular da história foi marcado por muitas guerras e desentendimentos. O país como todo bom sul-americano que se preze, também foi governado por militares entre 1953 e 1974.
Desde então, o país que decolou a 2ª linha aérea do mundo em 1919 (atrás apenas da holandesa KLM), inaugurou complexos fabrís em metrópoles como Bogotá (capital, 7,5 milhões de habitantes), Cali (2,33 milhões de habitantes), Medelín (3,2 milhões de habitantes e Barranquilla (1,98 milhões de habitantes), segue lutando para conseguir estabilidade política e economica. O país se tornou famoso por ser o grande celeiro das drogas no mundo. O cartel de Cali e o de Medelín comandaram o crime organizado e o tráfico de drogas (cifras correspondentes a U$ 6 bilhões) durante toda décado de 80, sendo desbaratados posteriormente e nos anos 90 uma nova força surgiu: As Farc (Força Revolucionária Colômbiana), uma milícia com propósitos pseudo-políticos disfarçados de socialistas mas que sobrevivem às custas do dinheiro do tráfico e de sequestros em todo o país, aterrorizando e exterminando todos aqueles que contrariassem seus interesses.
Deixando de lado o tráfico e se concentrando nas riquezas lícitas do país, a Colômbia é um dos países mais ricos em recursos naturais da América so Sul, estando o petróleo e o carvão entre as maiores reservas da América Latina. O país é grande exportador de café (considerado o melhor do mundo), cana-de-açúcar e esmeraldas (maior produtor mundial). Seu PIB é de quase U$ 100 bilhões.
A cultura da Colômbia resulta da mistura de culturas europeias (espanhóis), negros e índios. A religião tem um aspecto muito importante na formação cultural do país já que 95% da população se dizem católicos. O que faz da instituição familiar o pilar da sociedade colômbiana.
O povo colômbiano dá uma importância muito grande ao almoço, que servido entre 14 e 15 horas, geralmente com uma sopa de entrada, o prato principal e sucos ou frutas após as refeições. São grandes consumidores de rum e café e de frutas pouco ou nada conhecidas por aqui como: zapote; curuba e granadillas (semelhante ao nosso maracujá). As folhas de bananeira são muito usadas em assados (semelhante ao papel alumínio por preservar o suco dos alimentos).

terça-feira, março 21, 2006

Ceviche de Camarção (receita equatoriana)


Ingredientes:




01Kg. de camarões médios;
01 cebola cortada em rodelas finas;
06 limões;
02 tomates maduros;
01 pimenta malagueta;
10 ramos de coentro;
03 colheres das de sopa ketchup;
Sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de preparo:


Lave e descasque os camarões, ferva em uma panela as cascas dos camarões com um pouco de água por de 10 minutos. Dispense as cascas e ferva os camarões nesta água por 2 minutos. Retire do fogo e reserve.
Coloque a cebola em um recipiente, cubra com um pouco da água reservada, tampe e deixe por 15 minutos. Retire as cebolas, dispense a água, esprema os limões e cubra a cebola novamente com o suco. Tampe e deixe por 15 minutos.Corte a pimenta e misture com o coentro, o tomate, a cebola curtida, o ketchup, o sal e a pimenta-do-reino. Coloque na panela com o camarão e a água cozinhe mexendo bem por 10 minutos.
Sirva como acompanhamento pão, milho torrado ou arroz branco.

Equador


País em que floresceram diversas culturas indígenas, antes mesmo do domínio do Império Inca no século XV. Em 1534 os espanhóis chegaram a essa terra, derrotando os Incas e iniciando a colonização europeia. Nesse meio tempo a população indígena foi dizimada por doenças trazidas pelos europeus, assim como por conseqüência do duro trabalho escravo a que fora submetida. Em 1563, a sua atual capital, Quito (1,4 milhões de habitantes), foi elevada à categoria de distrito administrativo da colônia espanhola.
Em 1822, forças locais se uniram e derrotaram o domínio espanhol, se juntando à Gran-Colômbia, república formada por Simón Bolivar, a qual veio se separar em 1830. O século XIX foi marcado por instabilidades culturais e econômicas, a forte influência da igreja católica se tornou um empecilho ao desenvolvimento. Somente em 1895 uma revolução liberal conseguiu, em parte, separar a igreja do Estado e iniciar o processo capitalista. O fim do ciclo do cacau gerou uma estabilidade econômica que culminou com o golpe militar em 1925. Os trinta anos seguintes foram marcados por governos populistas que pouco, ou nada, fizeram em prol do desenvolvimento.
Após a 2ª Guerra Mundial a recuperação do mercado agrícola e a expansão da indústria de bananas ajudaram a restabelecer o crescimento econômico e a paz política. Nos anos 60, a descoberta do petróleo chamou a atenção de empresas estrangeiras, porém, nos anos 70 os equatorianos sofreram um novo golpe militar que só se extingüiu em 1979, com o fim do ciclo do petróleo. Hoje, um ex-militar assumiu a presidência prometendo combate à corrupção e restauração das instituições equatorianas.
O Equador é um dos menores países da América do Sul (283.560 km²) e, juntamente com o Chile, os únicos países que não fazem fronteira com o Brasil. Com uma população de 13 milhões de habitantes e uma renda per capta de U$ 3.000,00. Além do território continental, as Ilhas Galápagos, famosa por ser o arquipélogo escolhido por Charles Darwin para dar início à sua teoria evolucionista, também faz parte dos domínios equatorianos.
A economia equatoriana é basicamente movida pela agricultura (cacau, café, bananas...). O país tem apenas 7% de analfabetos e sua população é predominantemente católica. Sua cultura é tão diversificada quanto as paisagens do país, fruto de uma mistura de europeus, índios e escravos africanos.
A culinária do Equador tem como base o milho, carnes bovinas e de caça, farinhas e massas, graças em parte, à herança Inca.

terça-feira, março 14, 2006

Cebiche de Atum e Cogumelos Frescos (receita peruana)


Ingredientes:







01 espiga de milho cozida;
02 batatas doce média;
250g de atum em conserva (de preferência, em água);
300g de cogumelos frescos;
3/4 de chávena de suco de limão;
04 colheres(sopa) de creme de leite;
01 talo de aipo picado;
Salsinha picada, sal e pimenta-do-reino a gosto.

Modo de preparo:

Limpar os cogumelos e parti-los em quartos (deixar os pequenos inteiros). Acrescentar um pouco de suco de limão imediatamente para que não escureçam. Temperar com um pouco da pimenta do reino. Picar o aipo e juntar ao cogumelo. Acrescentar também o atum sem água. Preparar um molho com creme de leite e misturar ao restante do suco de limão, alho picado, salsinha picada, sal e pimenta. Colocar todos os ingredientes em uma vasilha funda e deixar marinando por pelo menos 10 minutos. Servir com a batata doce e o milho.

Peru


Esse país, foi o berço do império Inca e de várias culturas pré-inca, como o povo Quéchua. O Peru foi colonizado pelos espanhóis, na pessoa do explorador Francisco Pizarro, em 1532. No fim de 1550, já era um vice-reino que trazia muitas divisas para a Espanha, principalmente por meio do ouro e da prata. No dia 28 de julho de 1822 foi declarada a sua independência.
nas décadas seguintes, o Peru foi sacudido por muitas turbulências, várias crises economicas, golpes de estado,duas guerras perdidas contra o Chile e outra contra a Espanha (1866). Hoje em dia o Peru passa por um processo de redemocratização, liderado pelo presidente Alejandro Toledo. Sua economia é baseada na extração de minérios (principalmente a prata, o zinco, o estanho e o cobre) e possui também uma forte indústria pesqueira agraciada com uma corrente marítima favorável à pesca em larga escala. Sua agricultura se resume basicamente no plantio de cana-de-açúcar e trigo, além da agricultura de subsistência. Sua capital é Lima (8,4 milhões de habitantes, um terço da população total do país), tem uma área de 1,82 milhão de km2 e sua moeda chama-se Sol Novo.
O Peru é ao lado da Bolívia e da Guatemala, os únicos países latinos em que a população é em sua maioria composta de povos indígenas. Quase metade da população é composta de ameríndios. A cultura peruana é fortemente infulenciada pelos povos pré-incas assim como os própios Incas. O país possui vários escritores de renome mundial e sua cultura hoje em dia se volta cada vez mais às suas raízes, trazendo mais dignidade aos povos indígenas.
A culinária peruana é considerada uma das mais ricas do mundo devido à diversidade de sabores e temperos, influências europeias assim como pré-colombianas e indígenas. A base da culinária é composta por milho e batata. Vale ressaltar que a batata é originária do Peru, onde existem mais de 2000 espécies de batatas catalogadas.

quinta-feira, março 02, 2006

Arroz Boliviano









  • Ingredientes:

    02 chávenas de arroz;
  • 300g. de músculo bovino moido;
  • 02 batatas grandes;
  • 1/2 lata de ervilhas;
  • 1/2 lata de milho verde;
  • 02 bananas da Terra;
  • Queijo parmesão ralado a gosto;
  • 01 cebola média ralada;
  • 01 pimentão médio;
  • 190g. de extrato de tomate (01 copo pequeno);
  • sal e limão a gosto;
  • 03 dentes de alho esprimidos;
  • 03 ovos;
  • 01 coher das de sopa de manteiga.

Modo de preparo:

Cozinhe o arroz separadamente e resreve. Tempere a carne com o sal, o limão e o alho, refogue e acrescente o pimentão, as ervilhas, o milho, a cebola e o extrato, deixe fritar e acrescente agua. Cozinhe os ovos, corte em rodelas e reserve. Corte as batatas em forma de palito e as bananas em rodelas, frite e reserve.

Em um refratário, disponha uma camada de arroz e outra do molho de carne, coloque as batatas, as bananas e os ovos por cima e polvilhe com o parmesão ralado. Leve ao forno para gratinar por 10 minutos e sirva em seguida.

Bolívia.



Esse país vizinho ao nosso foi berço de uma grande civilização, a Tiahuanaco, que se tornou parte do império Inca no século XV. Quando os espanhóis chegaram por lá no século XVI, encontraram grandes jazidas de prata e, logo a região se incorporou ao vice-reino do Pelo e, mais tarde, no do La Plata.

A luta pela independência começou em 1809, mas a Bolívia continou sob o domínio da Espanha até 1825, quando foi libertada pelo revolucionário Simón Bolivar. Nesse tempo, a Bolívia foi anexada ao Peru e assim permaneceu por um período breve. Com a independência total, o país perdeu boa parte de seu território devido à guerras e vendas.

Como todo país Sul-Americano que se preze, a Bolívia também passou por períodos turbulentos devido à ditadura militar. Em 1980 o país restaurou sua democracia após a dissolução da junta militar.

O país cuja a capital administrativa e sede do governo é La Paz (1,6 milhão de habitantes) não possui saída para o mar, assim como o Paraguai. Com uma população de 9 milhões de habitantes distribuidos em mais ou menos 1,1 milhão de km2, a Bolívia possui um dos menores índices de desenvolvimento da América Latina, seu PIB per capta é de U$ 920,00. Sua relação com o Brasil é de forte comércio devido ao gasoduto Brasil/Bolívia controlado e financiado pela Petrobras ( as refinarias brasileiras são responsáveis por 20% do PIB Boliviano). Hoje com a ascenção do indígena Evo Morales ao poder, o ambiente político/economico do país está meio nebuloso, o canditato venceu as eleições com promessas populistas na mesma linha de seu companheiro venezuelano Hugo Chaves. É esperar prá ver.

A cultura do país tem forte influência Inca e de outros povos indígenas. Sua festa típica, Carnaval de Ouro, foi tombada como patrimônio cultural pela UNESCO.

Sua culinária é bastante parecida com a de seus vizinhos. Um prato bastante popular é a Saltena, uma espécie de pastel assado ou empanada, muito apreciado pela população boliviana.